sábado, 19 de junho de 2010

- Algumas vezes


eu me pego pensando em todas as coisas. Tudo que eu já vivi, tudo o que eu já aprendi e nada disso importa. Eu tento não lembrar, tento esquecer de tudo, mas eu simplesmente não consigo. Eu sei que o que acontece comigo é mais forte do que eu. Eu lembro das músicas, das palavras, dos pedidos, das reclamações, das declarações. Do amor. Do amor que foi embora, do amor que não vai voltar. E eu não sei o que pensar sobre isso, não sei o que fazer. É difícil esquecer alguém, é difícil esquecer o que esse alguém foi pra mim. Eu me sinto tão idiota às vezes, pensando em você e lembrando de tudo. Eu sei que só eu lembro das coisas, e isso não é nenhum pouco animador. E eu queria tanto esquecer tudo, mandar esse sentimento ir catar coquinhos.É como um mar. Às vezes a maré está alta e outras vezes baixa. Às vezes você nem sente as ondas batendo em você, e outras vezes ela te derruba sem mais nem menos, sem explicação. Apenas porque tem que ser assim, apenas porque é a ordem natural das coisas.
Quando tudo parece estar se ajeitando, quando tudo parece mudar, uma onda me atinge e me joga pro fundo. Pro fundo onde é impossível sair. Pro mais profundo lugar. E isso machuca tanto, machuca porque eu sei que estou sozinho. Machuca porque nada vai trazer você de volta. Machuca porque eu sou um idiota pensando em tudo. Machuca porque talvez eu nunca vou te esquecer. Machuca porque você parece ter esquecido há muito tempo.Mas a vida é assim, as coisas são assim, não se pode querer mudá-las. Não se pode deixar levar por certos sentimentos, porque isso de alguma forma te consome. Te consome e te leva pro fundo, de novo. Mas não dá pra fugir das coisas, não dá pra simplesmente abaixar a cabeça e colocar os problemas embaixo do tapete, porque uma hora ou outra eles voltam. A vida é uma coisa muito engraçada mesmo. Acho que eu nunca vou conseguir entendê-la.

Nenhum comentário:

Postar um comentário